3.0 // MANUAL3.1 // LGBT

Alunos protenstam a favor de casal homoafetivo

Alunos da Escola Estadual Mestre Zeca Amâncio, localizada em Itabira, em Minas Gerais, organizaram um protesto contra a própria instituição de ensino, na última quinta-feira (30), após um casal gay ter sido chamado a atenção por andar abraçado dentro da unidade. De acordo com a responsável pelo manifesto, em entrevista ao portal IG, o fato ocorreu na hora do intervalo em frente a sala da diretoria.

 A estudante, que preferiu não se identificar, contou que o caso gerou revolta dos colegas por muitos casais héteros terem a liberdade de demonstrar afeto nas dependências do colégio, que segundo ela, “exageram nos carinhos”, mas apenas os garotos tiveram que assinar um documento que pedia, segundo a entrevistada, para os jovens não passarem dos limites dentro do ambiente escolar.

A manifestação contou com os adolescentes em frente a sala da diretora todos abraçados durante 20 minutos. Outros ainda seguraram cartazes com frases que defendem o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo, além de serem embalados pela música “Toda Forma de Amor”, do Lulu Santos. Fotos do protesto foram publicadas nas redes sociais e viralizaram.

O protesto surtiu efeito, e no dia seguinte, a direção da escola voltou atrás e pediu desculpas ao casal gay. “Os meninos também pediram para rever a ata e requisitaram uma mudança, dizendo que não passaram dos limites”, contou a aluna, acrescentando que todos os manifestantes entendem que existem normas que devem ser seguidas na escola, mas o que incomodou e motivou a manifestação foi a diferença no tratamento com os homossexuais.

Procurada, pela reportagem de um portal, a secretaria da unidade escolar diz não saber da polêmica e se recusou a passar a ligação para a coordenação e direção do colégio, a um outro portal, no entanto, a diretora  afirmou, em nota, que “o procedimento da escola é o mesmo com todos os casais”.

“Nós permitimos que eles andem abraçados e de mãos dadas, mas namoros, beijos e trocas de carícias dentro da escola não são permitidos. No caso deste casal homossexual, nós os orientamos e eles pediram que as famílias não fossem comunicadas, afirmou.

Sobre a manifestação a favor do casal gay , a escola garante que aconteceu de maneira ordeira, na hora do recreio, e que os alunos não foram impedidos de expor o que pensam.

Fonte: ObservatórioG