9.0 // DA REDAÇÃO

Atenção! Cuidados ao adquirir um imóvel.

dvogado dá dicas para a hora da compra de um imóvel usado ou novo

O sonho de muitos brasileiros, a conquista de uma casa nova é um passo muito importante na vida de qualquer pessoa. Mas, algumas vezes, o sonho pode se tornar um pesadelo se algo sair errado. É necessário estar atento tanto na parte contratual quanto estrutural do local.

Para tirar dúvidas que possam surgir durante este processo, o advogado e economista, Dr. Paulo Akiyama, oferece uma série de dicas para quem está à procura de um imóvel, sejam imóveis usados ou novos. “Um dos erros mais comuns por parte de um comprador é não contratar um advogado que tenha experiência com transação imobiliária. Outro erro é não obter certidões com a Junta Comercial do estado para saber se o vendedor é sócio de alguma empresa, mesmo que inativa, pois sempre há o risco de execuções fiscais em nome da empresa que podem prejudicar o negócio”, explica.

Ao adquirir um imóvel, além de uma série de documentos, é importante saber como será a forma de pagamento, à vista, financiado por um banco ou com parte obtida no FGTS. A única diferença nesses métodos é referente a quando o vendedor recebe a totalidade do valor.

Vale ressaltar que atualmente os bancos não se encarregam de checagens e medidas de segurança do negócio, todas ficando a cargo do comprador.

Ao adquirir projetos ainda na planta, o comprador deve prestar muita atenção aos itens do contrato, como a data da entrega até os insumos utilizados na construção.

A nossa orientação é que o comprador guarde consigo exemplares das propagandas de vendas, memorial descritivo, cadernos promocionais e demais documentos que comprovem a proposta de venda para poder confrontar no futuro se for necessário”, aconselha o advogado.

O cancelamento da compra de um imóvel na planta não é nem um pouco vantajoso. Após assinar o financiamento, a única opção é realizar a quitação integral com desconto nos juros.

O corretor de imóveis é um ótimo profissional para encontrar propriedades com todas as necessidades dos compradores. No entanto, o melhor profissional para analisar detalhes que podem atrapalhar um negócio é o advogado especializado. Comprar diretamente com proprietários também pode ser uma péssima ideia, salvo se o comprador possuir advogado da sua confiança para acompanhar a negociação.

Akiyama indica que a compra sempre seja realizada com o auxílio de um advogado especializado, “Tivemos algumas experiências no escritório em que negócios deixaram de ser realizados por conta de tópicos encontrados em contratos, e que, no caso, o Comprador não possuía seu próprio advogado, criando assim o impasse no negócio. Em outros casos, mesmo com certidões positivas, porém, devido a ajuda de advogados com muita bagagem em transações imobiliárias, as partes conseguiram realizar as negociações”, finaliza.

saiba antes via instagram @revista.maisjr