3.1 // LGBT

Casal dispensa atendimento de garçonete por ela ser lésbica

Que o mundo está cheio de absurdos, isso não é novidade. Porém, a novidade negativa agora vem de Belo Horizonte: uma garçonete foi vítima de discriminação e homofobia após um casal ter se recusado a ser atendidos por “uma sapatão”.

Outra cliente do bar, Nathalia Trajano, presenciou o caso de homofobia, e prontamente, publicou o ocorrido em seu Facebook. Ela só se deu conta do ocorrido quando a garçonete, com os “olhos cheios d’água”, disse à ela que não a atenderia mais pois o casal ao lado havia pedido para que ela fosse trocada.

Logo, Nathalia chamou com seus amigos o gerente do estabelecimento. E pasmem: o cidadão disse que não concordava com a atitude, mas que não poderia fazer nada. Indignada, ela e seus amigos foram tirar satisfação com o casal; o homem negou a situação e quis partir para a agressão.

A polícia foi chamada, mas chegou depois de o casal der saído do estabelecimento. Nas redes, a publicação já bateu 1 mil compartilhamentos; a garçonete, Juliana Aparecida Ribeiro da Silva, de 33 anos, afirmou ter ficado paralisada com o ocorrido e sentiu-se mal. Após o ocorrido, disse que o gerente pediu para que ela ficasse por um tempo no segundo andar do bar, necessário para que o casal fosse embora e ela retornasse ao posto.

“O restaurante não tem culpa de ter chegado clientes com essa visão. Preferi me recolher. Mas me senti muito mal. Principalmente quando notei a proporção que tomou e vi a gravidade do que estava envolvida”, disse, em entrevista à RecordTV.

saiba antes via instagram @revista.maisjr