3.1 // LGBT

Comissão rebate nota da bancada evangélica contra apoio a cultura LGBT

O presidente da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar, deputado Ricardo Vale (PT), rebateu na sessão ordinária da Câmara Legislativa do Distrito Federal de ontem (3) nota divulgada pela bancada evangélica pedindo revogação de portaria da secretaria de cultura. A portaria cria a política de fomento a cultura LGBT.

Vale considerou que a nota é muito dura e LGBTfóbica. Para ele, a Câmara tem o papel de defender as minorias, especialmente, a comunidade LGBT, que sofre muito com o preconceito e a violência. “A sociedade está muito intolerante. Todos nós somos seres humanos, não importa a orientação de gênero”, assinalou.

O deputado homofóbico Rodrigo Delmasso (Podemos), líder da bancada evangélica, argumenta que tal medida favorece a comunidade LGBT e “fere o direito das famílias brasilienses”.

“As políticas públicas devem atender aos princípios públicos e não segmentados. No nosso entendimento, fere frontalmente os dispostos constitucionais”, diz a nota da bancada evangélica.

A portaria, publicada no Diário Oficial do DF na última sexta-feira (29/9), promove política de fomento e difusão de atividades culturais da comunidade LGBT. Entre os objetivos, estão o de cadastrar, identificar, mapear, produzir indicadores e valorizar agentes, coletivos, lugares, saberes, fazeres e expressões ligadas a população LGBT.

A Secult pretende, segundo o texto, “descentralizar os recursos públicos e estimular o patrocínio pela iniciativa privada para democratizar o acesso aos meios de produção, circulação e fruição artístico-culturais relacionados à cultura LGBTI”.

saiba antes via instagram @revista.maisjr