3.4 // SAÚDE

Cuidado com as hepatites virais pode prevenir câncer de fígado

Acompanhamento médico garante diagnóstico precoce e resultado mais eficiente em relação ao tratamento

Juninhos, falamos sobre celebridades, mostramos lindos rapazes em nosso portal e vídeos na HOT. Mas falar sobre saúde também é MUITO IMPORTANTE!

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), há cerca de 400 milhões de pessoas infectadas pelos vírus das hepatites B e C e 1,4 milhão de pessoas com o vírus da hepatite A no mundo. No Brasil, a previsão é de surjam 40 mil novos casos em 2020, de acordo com informações do Ministério da Saúde. Se não diagnosticada precocemente, a doença pode evoluir e causar ainda mais danos à saúde.

“Se não tratadas corretamente, as infecções crônicas causadas pelas hepatites virais B e C podem causar outras complicações no fígado, aumentando o risco de desenvolvimento de câncer hepático”, explica Vincenzo Pugliese, oncologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo e especialista em tumores do aparelho digestivo. “Prevenção e acompanhamento médico periódico são essenciais porque as hepatites crônicas geralmente não apresentam sintomas e, quando surgem, a doença pode se encontrar já em fase avançada e sem possibilidade de cura”, complementa Vincenzo.

O diagnóstico precoce da hepatite é fundamental para evitar a transmissão e a progressão da doença. As principais medidas para prevenção são o uso de preservativo nas relações sexuais; a esterilização de instrumentos de manicure, pedicure, estúdios de tatuagem e de piercings; e o não compartilhamento de lâminas de barbear ou de depilar, agulhas e seringas. Há também as vacinas contra as hepatites A e B, que são obrigatórias e fazem parte do calendário nacional de vacinação. Infelizmente, ainda não existe vacina para a hepatite C, um dos principais fatores para o desenvolvimento de cirrose hepática e de câncer de fígado.

Fragmentando as hepatites
As hepatites se distinguem entre si em relação ao material genético dos vírus, formas de transmissão e tendência para desenvolver doença crônica.

Hepatite A: o vírus é transmitido pela ingestão de água e alimentos contaminados com coliformes fecais. O período de incubação do vírus é de 15 a 45 dias.

Hepatite B: é transmitida por meio de fluidos corporais, objetos contaminados, transfusão sanguínea ou de hemoderivados, por relações sexuais sem uso de preservativo e de mãe para filho, principalmente durante o parto. O período de incubação do vírus é de 8 a 10 semanas.

Hepatite C: é transmitida por via parenteral, quando há o contato com o sangue, e por meio de outros fluidos corporais, objetos contaminados ou transfusão de sangue ou hemoderivados. O período de incubação é de 4 a 6 semanas. 

saiba antes via instagram @revista.maisjr