3.1 // LGBT

Federação Mexicana de Futebol é acusada de impor cláusula anti-gay a jogadores

A Federação Mexicana de Futebol entrou em uma polêmica após serem divulgadas cláusulas de contrato destinadas a jogadoras femininas no país.

Entre as exigências, a FEMEXFUT pede que as atletas femininas se comprometam a não engravidas e a garantirem que não são homossexuais.

Uma das atletas, em anonimato, afirmou que as cláusulas são existentes. “As restrições à maternidade estão no formato base do contrato que a federação está a enviar aos clubes e que as jogadoras têm de assinar”, afirmou ao jornal mexicano La Jornada.

Ainda, segundo a atleta, “se qualquer jogadora engravidar, o contrato poderá será rescindido unilateralmente. E não darão qualquer apoio médico ou qualquer benefício que os trabalhadores têm direito por via da lei”.

A entidade nega os pedidos, porém, e diz que nenhum pronto do contrato diz que “a gravidez possa ser um motivo para que um clube possa quebrar contratos ou não cumprir com as suas responsabilidades”, e que todas as atletas têm direito “a um seguro que cubra gastos médicos, o que deverá ser assegurado pelo clube”.