2.6 // POP & MÚSICA3.1 // LGBT

Filme mexicano homofóbico disponível na Netflix causa polêmica

O filme “Pink” critica a adoção por casais homossexuais  

“Adotado por um casal gay, Andrés é criado num lar turbulento até que um de seus pais ganha uma Bíblia e renega sua homossexualidade”. Essa é a descrição do filme mexicano “Pink” no serviço de streaming Netflix. 

O longa-metragem causou polêmica no México ano passado ao criticar a adoção por casais homossexuais a partir de um ponto de vista cristão e conservador. Baseada em premissas religiosas e moralistas, o filme gerou um debate e chegou a ser proibido no país ao incitar a violência contra homossexuais.

O filme está disponível na Netflix Brasil, mas também tem gerado polêmica por aqui. Um abaixo-assinado no site Change.org  pede para que a plataforma retire a produção do catálogo e já tem mais de 2,4 mil apoiadores. 

O abaixo-assinado informa que o filme “insiste em mostrar a aceitação da homoparentalidade como um erro da sociedade”, anuncia. “O casal é colocado como sendo incapaz de criar uma criança porque naturaliza a homossexualidade como sendo inferior, promíscua e estereotipada. É chocante ver a criança hiperssexualizada, como se isso fosse devido à convivência com seus pais. Além disso, o filme é totalmente homofóbico e propaga a violência contra LGBTs”, denuncia o texto.

O abaixo-assinado continua: “Por esses motivos, esperamos e exigimos que a Netflix cancele este filme de sua lista de filmes, pois o mesmo é uma ofensa a todas as pessoas LGBT+, famílias LGBT+ e, inclusive, contra a garantia de direitos da população LGBT+. Este filme vai contra nossa Constituição”. 

saiba antes via instagram @revista.maisjr