3.1 // LGBT

Mãe acusa escola de expulsar sua filha por ela ser transexual

Mara Beatriz, mãe de uma menina transexual de 13 anos, está acusando uma escola de Fortaleza de expulsar a sua filha pelo simples fato dela ser transexual. A acusação veio através de um post nas redes sociais que já repercute pelo país.

Segundo ela, houve uma reunião onde foi aconselhada a procurar uma escola que pudesse atender “as necessidades” da estudante, que estuda na instituição pública desde os dois anos de idade.

A confusão, porém, começou bem antes quando o colégio não fornecia apoio à garota, a privando de usar o banheiro de acordo com sua identidade e o seu nome social, direito constituído em lei.

“Desrespeitava o nome social, colocando o nome civil em todos os registros, tais como frequência, avaliações, boletins, a submetendo ao constrangimento. O banheiro feminino também lhe foi negado, com a recomendação que usasse o banheiro da coordenação”, contou.

“Simplesmente a expulsaram, a enxotaram. E quando eu questionei nos escorraçaram: ‘os acompanhem, já terminamos a reunião’. Nunca nos sentimos tão constrangidos, humilhados, diminuídos, desrespeitados”, continuou.

Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dedeca). Em nota, o Sistema Fecomercio, que administra a rede de ensino, disse que a matrícula da garota será sim renovada.

“A premissa básica do Sistema Fecomércio-CE é inclusão e educação. Analisamos o caso e a aluna tem matrícula assegurada em 2018, como todos os veteranos”.

saiba antes via instagram @revista.maisjr