3.0 // MANUAL

Relatório feito na Austrália define a cura gay como um problema real

Um relatório publicado nesta segunda-feira (15), na Austrália, retrata a terapias de reversão sexual como um “problema real”.

“O relatório revela o imenso trauma e dor que os participantes sentiram em relação à possibilidade de ter de escolher entre sua fé e seu gênero ou sexualidade”, afirmou Tim Jones, da Universidade La Trobe, que participou do estudo.

O documento toma como base 15 casos de pessoas que foram vítimas de tratamentos para tentar mudar a sua identidade visual através das crenças de suas comunidades religiosas.

O resultado do estudo mostra como os afetados sofreram com a prática sendo acometidos por fortes traumas psicológicos e a perda da fé. Outros até mesmo deixaram de lutar para serem aceitos nas suas respectivas comunidades religiosas.

Elaborado pela La Trobe e pelo Centro Legal de Direitos Humanos e Saúde dos Homossexuais e Lésbicas do estado de Victoria, o levantamento ainda avalia as práticas utilizadas para esta conversão.

O relatório ainda formula recomendações a governos e comunidades religiosas, dentre elas, a defesa da lei que proíbe que crianças e adolescentes sejam submetidos a estas práticas. Em outros casos propõem ajuda aos afetados, além de campanhas de educação que envolvam as comunidades religiosas.

A diretora de defesa jurídica do Centro Legal de Direitos Humanos, Anna Brown, ressaltou que os tratamentos de conversão provaram ser “ineficazes e prejudiciais”, porque ao dizer a uma pessoa que ela está “doente por ser assim, é profundamente prejudicial”.

saiba antes via instagram @revista.maisjr